Sensualidade em Versos


Labirinto 



Mãos deslizam

Exploram as curvas

Por cima das roupas

Mãos que afagam 

Aquece e gela 

A espinha e a alma 

Arrepios são sentidos 

De novo nos corpos

A mente gira, 

O corpo geme 

O grito do amor 

Em torno à dor 

De não poder explorar 

Por inteiro aquele amor.


(Simone Medeiros)




Desejos


Desejos insanos
Loucos

Contínuos,
Assim somos,
Eu e você

Desejos amorosos
Meigos
Suaves
Carinhosos
Assim somos,
Eu e você.

Desejos que arde
Que queima
E requeima
Em brasa
Assim somos,
Eu e você.

Desejos que reclama
Amor
Beijos
Abraços e amassos
Assim somos,
Eu e você.

Desejos da paixão
Corpos à vista
Colados estão.
Da pele exala
O perfume do tesão
Assim, somamos
Eu e você.

Desejos que seduz
A minha'alma
à tua
O teu corpo
Ao meu
Somos mentes,


De fato,
O retrato
Do puro
Desejo.
Assim, é o nosso lance,
Entre mim e você!

(Simone Medeiros)



Ainda Sinto


Teu cheiro
Na pele

O sabor
Na boca
Saliva com gosto
De frutas doces

Teus beijos mornos,
Ainda guardo-os na lembrança
O gosto da tua boca
Lábios se procuram novamente
Desejos afloram
À flor da pele ardentes


E o corpo todo
Chama louco por ti
Teus beijos em mim imploram,
Por noites contínuas de puro prazer
Lábios se encostam, tocam os corpos

Sentindo o tato, mãos entre curvas
Lábios e pele
Quentes estamos, de novo...
Corpos se atraem
Fogo se reacende
Brasas explodem
Delírios de prazer

(Simone Medeiros)






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se gostou deixe um comentário

Simone de Corpo, Alma e Poesias...